Cinzento

Se a vida fosse a preto e branco, onde ficaria o cinzento. Aquela cor que nem é uma nem é outra mas existe, ela tem personalidade flexível e vai bem com qualquer outra.


Existem dias que acordo com o filtro, aquele que transforma tudo em radical (e não livre como os dos iogurtes), todas as acções são qualquer coisa explicável por uma qualquer ciência, nem que eu desconheça qual. Os comportamentos querem todos dizer qualquer coisa e eu incessantemente procuro o porquê. Sim, porque com este filtro de radicalidade tudo tem que caber na minha capacidade de entendimento, na minha lógica. Esta razão que apenas eu domino, que eu entendo, que eu conheço pode deixar de fora tudo que não esteja lá e como seria possível ter tudo lá?


Assim, hoje em que o céu deixou de ser azul e passou a estar em tons de cinzento, sim porque cinzento pode não ser simplesmente cinzento, existem tons, diferença. Mais escuro ou mais claro, reparem que esta cor é aquela que não é outra nem aquela, e mesmo assim tem diferença, nuances. Decidi que era uma oportunidade única para verificar a veracidade da minha ideia.


Traçando o objectivo de olhar cada acção com pelo menos 3 motivos para a mesma fosse realizada por x pessoa, foi possível detectar que nas primeiras situações se tornava um desafio encontrar as 3 possibilidades, mas que após algumas o objectivo ficou simplificado. Surgiam rápidas, simples e até coerentes e a dica foi: Iniciar todas com “Imagina que…” e parecia uma história fantástica e tal qual uma fita cinematográfica corria deixando correr cenas, diálogos.


Depois de decorrido um bom tempo, segundo o meu relógio, tinha atingido a excelência. Capaz de criar uma história em menos de minuto para comportamentos que via, vivia e observava. Afinal, o meu filtro de preto ou branco, ficou para trás e não volta, porque descobri que existe o cinzento, aquela cor que nem é uma nem outra mas o entretanto.


Olhando para mim…tenho vestida uma camisola cinzenta e uma calças cinzentas…coincidência ou não!

 

publicado por Momento de Mudança às 21:37 | comentar | favorito